Conto Erótico Surra de Dildo

Conto Erótico - Surra De Dildo

Eu não gosto de me classificar, mas se assim for preciso, eu acho que nesse caso me classificaria como bissexual. Eu sinto atracao tanto por homens quanto por mulheres. Mas mesmo já tendo tido um namoro de dois anos com uma mulher, ultimamente eu tenho ficado mais com homens. Sei lá, eu curto bastante dominar um homem, sinto tesão em mandar e desmandar neles, além do que eu me amarro em uma piroca. Curto mesmo chupar, lamber, sentir um pau vibrando nas minhas mãos e xoxota. Mas enfim, faz pouco tempo que conheci uma mina muito legal, e com ela descobri o maravilhoso mundo dos dildos, eu curto penetracao então o nosso lance foi maravilhoso. Eu já até tinha brincando com um vibrador ou dildo de vez em quando, mas foi ela, a Renata que me mostrou todo o potencial desses lindos objetos.


Acho que muita gente fica confusa quando ouve sobre lésbicas usando dildos, o argumento mais trouxa é que se você curte ser penetrada por que você então não procura um pau? Humpf… A química entre duas mulheres, esse tesão emocional e sexual não necessariamente nos tira a vontade de ser penetrada. Muitas pessoas tem essa visão rídicula de que mulheres lésbicas são seres angelicais que vivem ao redor de rosas, seres puros e que não transam. A verdade é: mulheres sentem tesão, independente da orientaão sexual, e algumas delas são muito mais sexuais do que outras, e esse era o caso de Renata, a minha ex, uma mina linda, gostosa e cheia de fogo.

Renata é dez anos mais nova que eu, ela faz parte de uma outra geracão, uma geracao de garotas mais libertas e sem dramas com a própria sexualidade. Ela tem cabelhos castanhos, olhos pretos, um corpinho pequeno e cheinho, lindos seios e uma personalidade incrível. Ela é daquele tipo de mulher que você conhece e quer ser melhor amiga, sabe? Eu a conheci em um bar de lésbicas no Rio, ela ccomecou a conversar comigo como quem não queria nada e quando vi já estavámos no taxi a caminho do meu apartamento na praia. Essa noite foi maravilhosa, nós passamos horas entrelacadas, nos chupamos, masturbamos e gozamos muito. Renata era um pouco agressiva demais mas enfim, curti a pegada dela. Ela abria as minhas pernas com força e metia (sim METIA) os seus dedos em mim, ela girava os seus dedos e enquanto me penetrava ela dava um beijinhos e lambia o meu clitóris. Foi uma noite maravilhosa. Depois de todo o sexo, quando já estávamos prontas para dormir, Renata me perguntou algo.

“Você tem algum brinquedinho?” Renata me questionou enquanto descansava a sua cabeça sobre os meus seios.

“Eu tenho um vibrador e um dildo” respondo.

“Me mostra!” ela disse toda empolgada, logo levantou a sua cabeça e ficou me observando atentamente. Eu então levantei da cama e fui procurar por eles, os achei e os joguei na cama. Ela me olhou e despontada. “Você chama isso aqui de dildo? Credo! Parece mais uma colher para mexer uma sopa!”

Eu fiquei chocada, me senti um nada, claramente aquela meninas dez anos mais nova do que eu tinha muito a me ensinar. “Amanhã você vem na minha casa e eu te mostro o que é um dildo” ela disse sorrindo, então se virou e dormiu. Pela manhã Renata foi embora, eu confirmei que a veria naquela mesma noite.

Cheguei em casa do trabalho, tomei um banho, coloquei uma roupa bem levinha e fui ao encontro de Renata. Depois de alguns minutos eu estava lá, na porta daquela menina linda mas ainda muito misteriosa. O meu coração batia forte, eu estava ansiosa, mas além da ansiedade também estava cheia de tesão. O que será que ela chamava de dildo? Era um pau do tamanho de um braço? Uma máquina de foder? Eu não sabia o que pensar! Mas o mistério de Renata me excitava e antes de tocar a sua campainha eu já sentia a minha xoxotinha umedecer. Tomei coragem e toquei a campainha, ninguém veio então dei 3 batidinha na porta. Knock Knock Knock!

“Calma amor, ta com pressa?” Renata abriu a porta dizendo isso, ela se divertia me deixando sem graça. Renata estava linda, ela vestia uma blusinha bem curta e uma calça jeans. Ela então logo me puxou para dentro e me beijou.

Ela foi me beijando e me puxando para dentro do seu apartamento. Renata beija muito bem, a sua língua massageava a minha, os seus lábios são carnudos e ela beija com vontade mesmo, ela parece um animal. Eu então senti algo entre as suas pernas, ela tinha alguma coisa dando volume na sua calça. Fiquei intrigada e comecei a pressionar o meu corpo contra o dela, queria entender o que era aquilo. Fui ficando com mais tesão, a sensação dos meus seios roçando os dela, hmmm… Minha bucetinha estava inchada e meu clitóris pulsava. Renata me levou para o seu quarto e pediu que eu ficasse bem à vontade na sua cama. Renata não deitou, ela ficou em pé e se aproximou do meu rosto, ela então abriu as sua calça jeans revelando um dildo, ela vestia um strapon que segurava um dildo maravilhoso, ele não parecia um pênis, parecia ser muito melhor. Era grosso na medida certa, tinha uma textura interessante e era verde flúor.

“Chupa meu pau” ela disse enquanto batia o dildo no meu rosto.

Eu segurei o dildo com a minha mão e fui chupando tudo aquilo, o gosto era meio estranho mas aquela textura me dava muito tesão. Eu chupava e me tocava por cima das minhas roupas, hmm… Eu já imaginava ela me penetrando com aquilo, a minha xoxota estava quente e pulsante. Renata segurou a minha cabeça e enfia todo aquele dildo na minha boca, ela fazia movimentos de como estivesse fodendo uma xoxota. “Assim mesmo, vai chupa tudo, põe tudo dentro” Renata dizia enquanto fodia a minha boca.

Eu chupei tudo, cada pedacinho do seu dildo, o gosto era estranho mas a situação toda me deixava excitada. Ela então deitou na cama ao meu lado e começou a tirar as minhas roupas. Começou pela minha camiseta e logo montou em mim, começou a esfregar o seu dildo nos meus mamilos… Hmmm. Enquanto isso eu me tocava e desejava tudo aquilo dentro de mim.

“Hmm a sua bucetinha quer mais?” ela me perguntou enquanto segurava a minha xoxota por cima da minha calça. Eu gemia e dizia que sim, pedia para ela me foder. Renata então ficou nua, tudo o que ela vestia era um strapon que segurava e dava suporte para aquele dildo maravilhoso. Ela então me despiu, me deixou nua na sua cama.

“Alguma mina já te comeu com um desses?” ela me perguntou enquanto ajeitava o seu strapon. E eu disse que não, eu já havia brincado com um dildo, mas nunca fui penetrada por uma mulher usando um. Apesar de ser uma experiência nova, eu estava sim muito empolgada com tudo aqui, então a provoquei mandando ela calar a boca e meter em mim.

“Cala a boca, vem aqui, toma conta da minha bucetinha, mete ela” eu disse enquanto me tocava.

Renata se aproximou, separou as minhas pernas e se posicionou entre mim. Ela tirou as minhas mãos da minha buceta e pediu que eu não me tocasse, ela então colocou aquele dildo sobre a minha xoxota, e ficou o esfregando entre os meus lábios vaginais e clitóris. Que loucura, que sensação maravilhosa! Eu então movimentava o meu quadril para baixo mas ela também recuava…
“Você quer mesmo sentir o meu pau dentro de você hein?” Renata disse me provocando enquanto alisava o meu clitóris. E eu disse que sim, mais uma vez pedi que ela metesse tudo em mim.

Ela então se aproximou, o posicionou entre os meus lábios vaginais e lentamente foi enfiando tudo dentro de mim. A textura daquele dildo me deixou alucinada, e ver aquela mulher maravilhosa em cima de mim fazia a minha buceta pulsar. Eu contraia os músculos da minha xoxota de tesão. Renata então aproximou o seu rosto do meu, ela me beijava e acariciava os meus seios, tudo isso enquanto sentia aquele dildo maravilhoso fodendo a minha xoxota, entrando e saindo, todo lambuzado pela lubrificação da minha vagina. Eu gemia e me contorcia, que delícia!

Eu estava muito perto de gozar, mas então Renata se virou e pediu que eu montasse nela. Me posicionei, e fui agachando em seu dildo, queria sentir cada pedacinho daquele objeto maravilhoso me penetrando. Enquanto sentava também me tocava, esfregava o meu clitóris bem gostoso… Eu então aumentei a velocidade e pressão, pela primeira vez na noite eu me senti dona da situação, fui montando bem forte nela, os meus seios balançavam e eu podia ver ela babando enquanto me observava.

“Isso gatinha, que gostosa” ela dizia meio que gemendo e olhando fixamente para os meus olhos.

Ela pegou nos meus seios e começou a apertar os meus mamilos, ela apertava bem forte, era uma mistura de dor e prazer, e eu curti aquilo. Eu então abaixei um pouco, coloquei os meus seios em sua boca e mandei que ela os mamasse.

“Chupa, põe tudo na sua boca, mama bem gostoso” mandei enquanto sentava nela, eu montava nela como nunca havia montando em nenhum homem, e ela manipulava aquele dildo tão bem, aquilo era muito melhor do que qualquer rola.

Renata colocou a sua mão sobre o meu clitóris e começou a pressionar ele e esfrega-lo repetidamente, o meu corpo começou a tremer e eu sentava com ainda mais força nela. A minha buceta palpitava, e eu tive o maior e mais violento orgasmo da minha vida, eu gemi muito alto, eu sentia as contrações dentro de mim, sentia a minha buceta agarrar aquele dildo com toda força… Hmm….. Eu estava com tanto êxtase que nem percebi que ela também gozou, nós gozamos juntas, o peso do meu corpo montando nela também estimulava o seu clitóris… Deitamos e ela manteve o seu dildo dentro de mim, ele ainda estava duro, vigoroso como rocha. E eu passada, aquilo além de maravilhoso não tinha os problema dos homens, não ficava mole, risos… Eu vi um mundo completamente novo se abrir para mim. Isso sim era uma libertação, quem precisa de homem?

Mas foi isso, essa experiência me deixou muito mais aberta a ter relações com mulheres, o meu tesão por homens não diminuiu (um pouco, vai…), mas eu ainda curto dominar um macho, e quando estou com outra mulher eu infelizmente não me sinto tão à vontade para fazer isso. Eu gosto de pisar, cuspir, puxar o cabelo e tal, então prefiro fazer isso com uns carinhas :)

Renata e eu continuamos a nos ver por vários meses, e a cada encontro era uma nova descoberta, aquela menina dez anos mais nova que eu me ensinou muitas putarias. Nós até viajamos juntas para o exterior e pegamos alguns dias para procurar pelos dildos dos sonhos… Aliás, ouvi falar dos dildos da pantynova, preciso tenta-los, acho que o dildo dos sonhos está aqui mesmo no Brasil! Na nossa viagem compramos alguns bem estranhos, um deles foi o mais memorável, chamamos de Dollynho, a dollynho, a nossa amiguinha, sempre estava lá penetrando as nossas bucetinhas.

Depois de muitos meses nós terminamos por motivos diversos, e eu acabei levando o que aprendi com ela para vida. Hoje namoro um carinha e estou me preparando para introduzir a idéia do strapon no nosso relacionamento. Quero muito meter no cuzinho dele...
 

Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados

Este site é protegido por reCAPTCHA e a Política de privacidade e os Termos de serviço do Google se aplicam.


vibradores pantynova

"ORGASMOS INFINITOS"

"Descobri novas zonas de prazer! Eu pensei que eu não fosse parar nunca de gozar." - Raquel L.

ver coleção